Tarefas repetidas são sintomas de TOC? Entenda!

Tarefas repetidas são sintomas de TOC? Entenda!

Sem dúvida alguma, as excentricidades do físico teórico Sheldon Cooper são um ingrediente especial da queridíssima The Big Bang Theory, um dos maiores sucessos da TV de todos os tempos.

Sheldon se senta sempre no mesmo lugar do sofá; dobra suas roupas minuciosamente; redigiu um contrato com regras para seu companheiro de apartamento, Leonard, e um para sua namorada; quando bate na porta de Penny, são sempre três batidas e o nome da amiga, e mais três e o nome, e continua até que ela abra; só corta o cabelo com um mesmo cabeleireiro; e tem um dia certo para cada tipo de comida, sem exceção.

Acontece que essas excentricidades, popularmente chamadas de “manias”, embora fontes de humor em séries e filmes, quando identificadas na vida real podem, na verdade, ser sintomas de uma doença, o chamado Transtorno Obsessivo-Compulsivo, conhecido pela sigla TOC.

O TOC acomete de 1 em cada 40 a 60 indivíduos no mundo todo e, ainda hoje, especialistas discutem se ele é um transtorno único ou um grupo de transtornos, devido à sua multiplicidade de sintomas.

Independentemente dessa classificação, trata-se de um quadro grave: de acordo com a OMS, ele está entre as 10 principais causas de incapacitação de pessoas. Começando muitas vezes na infância, trata-se de um quadro que evolui trazendo à pessoa dificuldades de relacionamento que, muitas vezes, ocasionam o abandono da família, separações e perda de empregos.

Entenda o que é o Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC)

As preocupações e medos são parte do cotidiano de todas as pessoas. O que normalmente fazemos é aprender a conviver com eles. É normal lavarmos as mãos antes das refeições, trancarmos as portas antes de deitar e checarmos os documentos na bolsa antes de sair.

Porém, quando temos necessidade de fazer essas coisas repetidas vezes, quando sentimos ansiedade ao realizá-las ou quando elas tomam muito tempo do nosso dia, comprometendo nossa rotina, podem ser caracterizadas como obsessões ou compulsões e são sintomas de TOC, que tem como principal característica essas obsessões, compulsões ou rituais.

Dentre seus sintomas, podemos destacar três tipos grupos de alterações:

  • as mentais, como obsessão com dúvidas, preocupações excessivas com doenças, com falhas, pensamentos de conteúdo impróprio ou “ruim”;
  • as de comportamento, exemplo de rituais ou compulsões, repetições, evitações, lentidão para realizar tarefas e indecisão;
  • as emocionais, como medo, desconforto, aflição, culpa e depressão.

 

Na verdade, podemos dizer que a principal marca do TOC são as repetições. E o processo para que elas aconteçam é relativamente simples: primeiro a pessoa tem um grande medo, algo no qual ela não consegue parar de pensar e que pode ter consequências ruins. Essa é a “obsessão”, que pode ser com limpeza, com segurança e com sexo, por exemplo.

A obsessão está sempre ligada a consequências que a pessoa considera negativas, como ser contaminado por uma doença, ter a casa invadida por ladrões ou realizar algum ato sexual depravado, desaprovado pela sociedade.

Dessa forma, quando surge a lembrança da obsessão, a pessoa com TOC não consegue afastar esses pensamentos e, por medo dessas possíveis consequências, busca um jeito de evitar que elas aconteçam. Assim, a lavagem das mãos se torna interminável, a verificação das trancas da casa nunca termina ou a pessoa inventa qualquer coisa para esquecer do pensamento sexual, seja acender e apagar a luz, ou rezar sempre que aparece o pensamento.

Esses atos que a pessoa realiza para aliviar sua obsessão são o que chamamos “compulsões”. Há quem os chame de “rituais”, mas, como esse termo é muito usado em práticas religiosas, os especialistas preferem evitá-lo. “Mania” também é um termo errado, pois é um termo que designa outro tipo de distúrbio psicológico.

Um detalhe importante sobre uma compulsão é que ela alivia o sentimento causado pela nossa obsessão, mas não o elimina. Assim, conseguimos um alívio imediato, mas somos fadados a ficar repetindo e repetindo essas ações de alívio, num ciclo sem fim.

Para você ter uma ideia das compulsões mais comuns, aqui vão duas listinhas, uma com as compulsões físicas, outra com aquelas que realizamos dentro da nossa cabeça:

Compulsões físicas mais comuns:

  • Lavagem ou limpeza, seja de partes do corpo, seja de objetos cotidianos
  • Verificações ou checagens, como ver diversas vezes se a porta está trancada e o gás desligado
  • Repetições ou confirmações, por exemplo, perguntando várias vezes se alguém fez uma tarefa que lhe cabia
  • Contagens e recontagens, sem acreditar no resultado
  • Acúmulo ou coleção de coisas sem utilidade ou que jamais serão usadas
  • Necessidade de poupar ou economizar
  • Necessidade de ordem, simetria, sequência ou alinhamento

Compulsões mentais mais comuns:

  • Rezar sempre que lembrar a compulsão
  • Repetir certas palavras ou frases sem maiores significados
  • Contar ou repetir números
  • Relembrar cenas ou imagens
  • Fazer listas
  • Tentar afastar pensamentos indesejáveis substituindo-os por outros de sentido contrário.

 

Mas se você ou algum conhecido apresenta esses sintomas, isso não é suficiente para concluir que possui TOC. Na verdade, para ter um diagnóstico positivo, essas atividades precisam tomar ao menos uma hora do dia do paciente e interferir fortemente em sua rotina diária. Precisam ser descartados ainda outros distúrbios com sintomas parecidos, como Transtorno da Personalidade Borderline, Transtorno da Personalidade Esquizotípica, Transtorno Bipolar e Psicoses.

A boa notícia é que existem tratamentos eficazes para o TOC, podendo o paciente utilizar medicamentos ou a reversão de hábitos, técnica que faz parte da Terapia Cognitivo Comportamental, a chamada TCC.

Por isso, caso você perceba algum desses sintomas, o ideal é procurar um psicólogo, que poderá fazer um diagnóstico preciso e determinar o tratamento correto para o seu caso.

Deixe uma resposta