Cinco pontos para saber como anda sua Inteligência Emocional

Cinco pontos para saber como anda sua Inteligência Emocional

Você já se preparou muito para uma reunião, mas, no “dia D”, uma pequena crítica ou pergunta lhe fez esquecer tudo o que tinha para falar?

E já sentiu que, embora fosse mais capacitado do que outros profissionais, deixou de conquistar uma promoção ou uma vaga de emprego só porque alguém conseguiu se sair melhor, mesmo não sendo o mais capaz?

Estas são situações nas quais o que nos falta é “Inteligência Emocional”, ou seja, uma capacidade mais aprofundada de reconhecermos as nossas emoções, bem como as dos outros, e, a partir dessa percepção, conseguirmos agir da melhor forma possível.

Neste artigo, você vai conhecer as cinco características das pessoas com baixa Inteligência Emocional e os caminhos para melhorar a sua!

Cinco pontos das pessoas com baixa Inteligência Emocional

  1. Você tem dificuldade em expor ideias ou fala com rispidez


    Se você possui um bom Quociente Emocional (QE), consegue, na maioria das situações, manter um equilíbrio entre ter boas maneiras, ser bom com os outros e ter empatia, além disso, consegue falar com firmeza, mas sem ser agressivo, e determinar limites para os outros ao mesmo tempo. Não agir dessa maneira faz com que você se estresse rapidamente, já que as suas emoções ficam sobrecarregadas e logo se transformam em sensações desconfortáveis, fontes de tensão e ansiedade. Mas não se desespere, já que a Inteligência Emocional pode ser treinada com a ajuda de um terapeuta, basta querer!

 

  1. Deixa suas emoções mandarem em você

Quem possui um baixo QE não sabe quais são as situações que o fazem “estourar” ou se entristecer ou sentir-se abalado. São os chamados “gatilhos emocionais”, que todos temos e que, se não os conhecermos, podem nos dominar em várias situações. Além de não conhecer os gatilhos, essas pessoas não conseguem diferenciar os vários tipos de sentimentos que temos. Assim, ao não perceberem direito o que estão sentindo, entendem mal o que lhes está acontecendo e acabam agindo de maneira irracional, criando confrontos desnecessários. Da mesma forma, há pessoas que escondem as emoções e aparentam nunca ficarem zangadas. As pessoas emocionalmente inteligentes não são assim. Elas sentem as emoções e, com elas, buscam conseguir os melhores resultados que podem.

 

  1. É muito defensivo, ofende-se facilmente e guarda rancor

Como não conhecem todos os sentimentos, as pessoas com baixo QE em geral formam suas opiniões muito rapidamente e baseadas em informações incompletas, só com as que confirmam suas teses. Isso acontece porque elas não possuem autoconfiança suficiente e capacidade de rir de si próprias, o que seria necessário para não se sentir ofendidas. Já nos casos em que são realmente ofendidas ou rebaixadas, essas pessoas não conseguem se defender direito, às vezes “engolindo a raiva”, às vezes respondendo de maneira agressiva, o que não melhora a situação. Por esse motivo, elas “guardam” emoções negativas para si, para ruminar em casa, assumindo um papel de injustiçadas e acumulando rancor.

 

  1. Tem dificuldade de admitir erros e sente-se incompreendido com frequência

Admitir seus erros deixa as pessoas com baixo QE ansiosas e inseguras. Falta-lhes a capacidade de se distanciar dos seus erros, que lhes permitiria ter esses erros presentes para se tornarem sucessos. Dessa forma, a repetição dos erros faz com que essas pessoas se sintam incompreendidas e, mesmo quando estão certas, não conseguem adaptar seu discurso de forma que os outros as compreendam.

 

  1. Culpa os outros por como se sente

As pessoas devem ter responsabilidade sobre seus atos e pagar por seus erros. Porém, ninguém é culpado pelo que sentimos, já que ninguém consegue fazer com que a gente sinta algo sem que a gente permita. Mesmo que alguém nos leve até uma situação que inspire revolta ou indignação, é nossa opção deixar que esse sentimento nos preencha e, mais, é nossa escolha o uso que faremos dele. Por isso, se você acha que as emoções que possui são culpa de outros, é hora de buscar uma ajuda profissional para lidar com isso, ser mais eficiente na vida e, com certeza, mais feliz.

 

Por fim, aqui vai a boa notícia: a Inteligência Emocional é uma capacidade que, embora todos tenhamos em alguma escala, pode ser treinada. Isso mesmo!

Com a ajuda de um terapeuta, você pode entender quais são os pontos específicos que precisa trabalhar e aplicar as técnicas certas para conhecer melhor as emoções suas, bem como as dos outros, e, finalmente, colocá-las para trabalharem a seu favor!

Com o tempo, essa mudança tem o potencial de transformar sua vida positivamente, pois ela melhora suas relações no trabalho, com os amigos e com a família!

Deixe uma resposta